E-BOOK MENINAS SUPER POÉTICAS

domingo, julho 11, 2010

Hoje um dia qualquer

Elizaete Ribeiro




Hoje uma forma de dizer adeus
Hoje é tudo que eu vejo
Hoje nem o amanhã e nem o depois
Apenas o hoje
Eu vejo
O som do adeus

Hoje andei sobre os sonhos
Hoje povoei o infinito
Com o grito de adeus
Adeus do sonho que formei
Adeus a beleza que contemplei
Hoje vejo o que não vejo
Apenas desejo
O som do teu
Hoje revelo o que vejo
Sem pensar no teu desejo
Encobrir meus passos
Apagando os rastros
Que na areia formei
Passos solitários
Sem pares alheios
Apenas os meus
Sem os teus
Foi a forma que criei
Hoje o adeus do amanhã que não veio
Hoje apenas o Hoje

quinta-feira, julho 08, 2010

Delito

Elizaete Ribeiro

"Vou aproveitar para falar de desejos imperdoaveis
na balança da vida fui pesada no tribunal do amor fui julgada
delito amar demais."